clique aqui para abrir os links em uma nova janela.

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Letter 2 - To an old friend.




Bem, como eu disse, quando eu tivesse um tempo eu responderia você. Se quiser responder ou não, é algo seu. Afinal, como já dizia Voltaire, "Posso não concordar com uma só palavra sua, mas defenderei até o ultimo instante seu direito de dizê-la." Primeiro você diz que está mostrando a cara diferente do que mim. O estranho é que eu já havia mostrado a minha cara antes, e ao contrário do que você diz, nem perdi meu tempo te bloqueando no WhatsApp. 1. Como já disse antes, não brinco com a sua doença porque sei a gravidade que isso tem. E caso você não se lembre, muitas vezes quem te pediu pra procurar um médico e se tratar para melhorar, ficar bem e ter a vida que você merece fui eu. 2. Você e S., ela ter sua senha e o cacete a quatro é um problema seu sim, e eu sinceramente cago pra isso. O problema é quando você conta coisas da minha vida privada pra ela. Isso é quebra de confiança, porque eu não contaria pra ninguém, assim como nunca contei, coisas particulares suas. Além de confiança, isso é ter bom senso. 3. Procurar você só quando preciso? Engraçado, já que a primeira pessoa com quem sempre compartilhei tudo, de bom e de ruim, foi você. A primeira pessoa pra quem contei que passei na Federal, que comecei a namorar o Lucas, que vim morar aqui e que minha vida estava andando, e por ai vai. Claro que te procurei quando precisava também, e sempre fui e ainda sou grata por todo suporte que você me deu, tanto em apoio moral, emocional, psicológico, financeiro e entre outras mil formas. E mesmo quando eu estava bem, inclusive bem emocionalmente, também te ajudei, te dando conselhos, te mostrando coisas, parando pra pensar com você sobre seus problemas. Sendo sua amiga ou não, tendo brigado ou não, é injusto falar que não fiz isso. E não, não estou jogando na sua cara, estou te lembrando de coisas. E quanto a precisar de psiquiatra, eu não preciso precisar pessoalmente pra saber o quanto é duro: eu convivi por 12 anos todos os dias com alguém que tinha problemas psiquiátricos e eu sei o quanto é duro. Por isso nunca brinquei e sempre medi as palavras quanto a sua situação.
Como já disse antes, espero que você melhore rápido, que volte a construir sua vida e a fazer coisas que te faziam bem, que ache alguém que possa te dar tudo que você sonhou outrora e que seja feliz.


Observações Importantes.
1. Tudo que foi censurado foi em nome da privacidade, tanto no print quanto no texto.
2. Foi escrito aqui por pura preguiça de digitar no celular. O post ficará disponível apenas para quem tiver o link.
3. Caso algum dia queira conversar (sem ofensas ou acusações), estarei aberta a ouvir sem problema algum.
4. Ignorarei qualquer tipo de resposta a isso vinda de qualquer pessoa que não seja você.
 

© 2009Unfinished Songs | by TNB